Rússia e EUA negoceiam trocar “Mercenário da Morte” por basquetebolista

A jogadora de 31 anos, que estava na Rússia para jogar pela equipa profissional de Yekaterinburg, foi acusada de contrabando de narcóticos e condenada a nove anos numa colónia penal, no início de agosto

É a primeira vez que a Rússia assume que as negociações em curso dizem respeito à troca de Viktor Bout, conhecido como o “Mercenário da Morte”, pela bicampeã olímpica Brittney Griner.

Relacionados rússia.  Rússia diz estar “pronta” para discutir troca de prisioneiros com os EUA

desporto.  Estados Unidos propuseram à Rússia acordo para repatriação de Brittney Griner

“As discussões sobre o tema muito sensível de uma troca de prisioneiros estão a ocorrer através dos canais escolhidos pelos presidentes”, disse Alexander Datchiev, chefe do departamento da América do Norte no Ministério das Relações Exteriores da Rússia, segundo a agência de notícias estatal TASS.

“A diplomacia silenciosa continua e deve dar frutos se Washington, é claro, tomar cuidado para não cair na propaganda”, disse ele.

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Griner foi presa num aeroporto de Moscovo em fevereiro por possuir cartuchos de vaporizador com uma pequena quantidade de óleo de cannabis.

A jogadora de 31 anos, que estava na Rússia para jogar pela equipa profissional de Yekaterinburg, foi acusada de contrabando de narcóticos e condenada a nove anos numa colónia penal, no início de agosto.

Bout foi preso na Tailândia em 2008 e depois extraditado para os Estados Unidos, onde em 2012 foi condenado a 25 anos de prisão sob a acusação de armar rebeldes em alguns dos conflitos mais sangrentos do mundo.

Ele inspirou o filme de contrabando de armas de 2005 “Lord of War”, protagonizado por Nicolas Cage e foi apelidado de “Mercenário da Morte” pelo ex-ministro britânico Peter Hain por fornecer armas para Angola e Libéria, devastadas pela guerra.

A Rússia há muito tenta a sua libertação.

No fim de semana passado, Bill Richardson, ex-embaixador dos EUA na ONU que negociou a libertação de vários americanos detidos em outros países, disse estar “otimista” sobre os esforços para negociar uma troca de prisioneiros com a Rússia.

“Acho que ela [Griner] será libertada, acho que ela tem a estratégia certa de contrição, haverá uma troca de prisioneiros – embora eu ache que será dois por dois, envolvendo Paul Whelan”, disse à “This Week.

Whelan é um ex-fuzileiro naval dos EUA que foi condenado por espionagem em junho de 2020 e sentenciado a 16 anos de prisão..