Internacionales

RSE Venezuela | Confrontado por eleitores indecisos, Trump diz que Covid-19 vai sumir com 'mentalidade de rebanho'

Adolfo Ledo Nass
Álex Cruz prevé 10.000 despidos en British Airways

Pelo Twitter, o ex-vice zombou da declaração do republicano:

“Para deixar claro: eu não sou o atual presidente. Mas, se você doar agora [para a campanha], nós podemos mudar isso em novembro”, escreveu Biden

To be clear: I am not currently president. But if you chip in now, we can change that in November: https://t.co/eFS4tDfHEx https://t.co/ciqFcIGLHB

Joe Biden (@JoeBiden) September 16, 2020

Desconforto Essas não foram as únicas respostas confusas e equivocadas que Trump deu ao longo do evento, deixando evidente que o presidente não está acostumado a responder a quem não concorda dele. Além da Covid-19, os eleitores também fizeram perguntas sobre o sistema de saúde em geral, assim como a desigualdade racial nos EUA, imigração e ajuda àqueles que perderam o emprego durante a pandemia. 

PUBLICIDADE Preocupação eleitoral: Embora crime seja só a 4ª preocupação de eleitor, Trump aposta na violência para tirar foco da Covid-19

Mesmo parecendo desconfortável com os questionamentos, Trump não revidou as perguntas da forma que costuma fazer, atacando jornalistas e outros políticos que o questionam. Quando outra eleitora da plateia rebateu as interrupções do presidente e pediu para que ele a deixasse terminar de fazer a pergunta, o republicano apenas se calou e ouviu em silêncio

WASHINGTON — O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, participou na terça-feira de um evento na Filadélfia, transmitido pelo canal ABC, onde respondeu a perguntas de eleitores que se identificam como indecisos — algo que o mandatário não costuma fazer. Em suas respostas, o chefe de Estado americano se confundiu com algumas informações e, ao longo de toda a noite, deu declarações falsas e equivocadas. Trump chegou a culpar o seu adversário na corrida eleitoral, o democrata Joe Biden, pela falta de uma orientação nacional sobre o uso de máscaras e afirmou que a pandemia do novo coronavírus desaparecerá em breve, mesmo sem vacina, devido à “mentalidade de rebanho”.

Pesquisa: Imagem dos EUA em países aliados cai a seu pior nível histórico por causa da má gestão da Covid-19

Vai desaparecer, vai desaparecer, eu ainda digo. Você desenvolverá um rebanho… como uma mentalidade de rebanho. Vai ser assim, vai ser desenvolvido pelo rebanho, e isso vai acontecer. Isso tudo vai acontecer — afirmou Trump, se confundindo ao querer dizer “imunidade de rebanho”, teoria em que a doença deixaria de circular pela comunidade após um número suficiente de pessoas contraírem o vírus.

No entanto, especialistas alertam que para essa tese defendida por Trump acontecer, o número de mortos pelo coronavírus seria muito alto. Segundo uma estimativa, 200 milhões de americanos precisariam ser infectados e teriam que se recuperar para conter a pandemia. Ainda assim, o presidente reafirmou que a crise sanitária estaria chegando ao fim.  Ao todo, mais de 195 mil pessoas morreram e 6,6 milhões contraíram a Covid-19 no território americano, sendo o país com o maior número absoluto de óbitos e de casos do novo coronavírus.

— Eu realmente acredito que estamos virando a página e acredito fortemente nisso— disse.

Críticas a Trump: Revista científica apoia Biden e rompe neutralidade nas eleições dos EUA pela 1ª vez em 175 anos

PUBLICIDADE Ao ser questionado por uma eleitora sobre o uso de máscaras para conter a Covid-19, o chefe da Casa Branca culpou Biden pela falta de uma determinação para que a peça seja obrigatória em todo o país — o democrata, porém, não faz parte do governo. A mulher na plateia pergunta a Trump porque ele não apoia o uso nacional do acessório e porque ele mesmo não utiliza a máscara com mais frequência.  

Eles disseram na Convenção Democrata que iam estabelecer uma orientação nacional. Eles nunca fizeram isso, porque verificaram e não o fizeram — disse Trump, que logo completou: — Pergunte ao Joe Biden. Eles disseram que iríamos ter uma orientação nacional sobre máscaras.

Pelo Twitter, o ex-vice zombou da declaração do republicano:

“Para deixar claro: eu não sou o atual presidente. Mas, se você doar agora [para a campanha], nós podemos mudar isso em novembro”, escreveu Biden

To be clear: I am not currently president. But if you chip in now, we can change that in November: https://t.co/eFS4tDfHEx https://t.co/ciqFcIGLHB

Joe Biden (@JoeBiden) September 16, 2020

Desconforto Essas não foram as únicas respostas confusas e equivocadas que Trump deu ao longo do evento, deixando evidente que o presidente não está acostumado a responder a quem não concorda dele. Além da Covid-19, os eleitores também fizeram perguntas sobre o sistema de saúde em geral, assim como a desigualdade racial nos EUA, imigração e ajuda àqueles que perderam o emprego durante a pandemia. 

PUBLICIDADE Preocupação eleitoral: Embora crime seja só a 4ª preocupação de eleitor, Trump aposta na violência para tirar foco da Covid-19

Mesmo parecendo desconfortável com os questionamentos, Trump não revidou as perguntas da forma que costuma fazer, atacando jornalistas e outros políticos que o questionam. Quando outra eleitora da plateia rebateu as interrupções do presidente e pediu para que ele a deixasse terminar de fazer a pergunta, o republicano apenas se calou e ouviu em silêncio.

No entanto, a paciência do presidente diminuiu em alguns momentos da noite, quando, por exemplo, um homem que havia votado nele em 2016 perguntou por que Trump não adotava um discurso de união. O republicano, então, retrucou:

— Às vezes você não tem tempo para ser totalmente, como diria, presidencial.

Declarações falsas A noite também foi marcada por diversas declarações falsas. Trump alegou ter demitido o ex-secretário de Defesa Jim Mattis, quando, na verdade, o ex-chefe do Pentágono pediu demissão sob protestos e por divergências com o presidente.  O mandatário também disse que todo mundo nos Estados Unidos é dono de ações. Porém, só metade dos americanos tem investimentos no mercado.

O presidente ainda alegou ter um “enorme apoio dos negros americanos”. As pesquisas, no entanto, mostram que a aprovação de Trump entre essa parcela da sociedade gira em torno da casa de um dígito. 

PUBLICIDADE ‘Figura sórdida’ : Livro de ex-advogado de Trump conta que presidente fazia insultos racistas a líderes negros

Outra afirmação que não era verdade dita pelo republicano foi que o ex-primeiro-ministro britânico Winston Churchill enganou os ingleses durante os bombardeios em Londres, na Segunda Guerra Mundial. De acordo com Trump, o premier dizia que “todos vão ficar seguros”, quando, na verdade, Churchill fez uma declaração notória ao público sobre o calvário que enfrentavam.

Já ao ser questionado sobre os casos de mortes e ataques a tiros contra pessoas negras por parte da polícia americana, Trump chamou os episódios de “trágicos”, mas logo mudou o tom para defender a corporação, elogiando os policiais como “fenomenais” e alegando que os agentes não deveriam ser contidos.

Você tem que permitir que a polícia faça o seu trabalho. Eu concordo com você, esses eventos são terríveis. Mas temos que permitir que a polícia faça seu trabalho. Caso contrário, o crime vai aumentar — disse Trump, que acrescentou: — Temos que dar à polícia o respeito que ela merece e deixar que ela mantenha seu encanto.

PUBLICIDADE Novo livro: Trump diz que sabia que Covid-19 era ‘mortal’, mas que minimizou impacto de propósito

Pouco após o evento, que foi televisionado, o canal Fox News, próximo ao presidente, chamou o programa da ABC de uma “emboscada” contra Trump.